Skip to Menu Skip to Search Contacte-nos Portugal Websites & Idiomas Skip to Content

Uma produção agrícola eficaz requer a gestão cuidadosa de vários fatores para se tornar mais sustentável: eficiência da produção, minimização das aplicações e redução da pegada de carbono.

Crops field

A grande maioria dos solos agrícolas estão a ser utilizados para a produção há várias gerações - no entanto, a gestão contínua de nutrientes é crucial para manter a produção económica no futuro. A gestão de nutrientes depende da análise completa do solo antes de ser cultivado e da análise do tecido vegetal. Isto envolve três etapas: recolha de amostras, testagem e recomendações.

Vamos examinar estas áreas com mais detalhe:

ANÁLISE DE SOLO

AMOSTRAS

As amostras devem ser representativas e recolhidas com a maior intensidade possível. Por exemplo, uma amostra que represente 10 ha pode ser adequada se pretendermos efetuar uma aplicação de taxa fixa. No entanto, se existirem três tipos de solos diferentes ao longo dos 10 ha - e se for possível gerir cada um de uma forma diferente - é mais vantajoso recolher uma amostra de cada um. Ao criar zonas de gestão diferentes, é possível também realizar aplicações de taxa variável.

TESTAGEM

Devido à grande variedade de solos que existe, os métodos de análise de solo não são universais. Devem ser desenvolvidos métodos locais para melhor determinar a quantidade precisa de nutrientes extraíveis no solo, que é amplamente influenciada pelo nível de pH do solo.

RECOMENDAÇÃO

Os resultados dos testes são normalmente avaliados com base em produtividades obtidas nos ensaios locais. Por exemplo, um teste ao solo com resultado “baixo” indica que o solo beneficiaria de nutrientes adicionais. Por outro lado, um teste ao solo com resultado “alto” indica que há um abastecimento natural adequado e que não existe nenhum benefício em adicionar mais.

Existem diferentes estratégias de recomendação, e é importante destacar que a taxa recomendada deve ser específica à cultura.

Por exemplo, numa abordagem suficiente, aplica-se a quantidade exata de nutrientes que gerará a resposta de rendimento mais económica. Esta deve ser uma estratégia de curto prazo ou quando os custos de produção são altos. No entanto, isto não tem em consideração a absorção dos nutrientes provocados pela cultura.

Em contraste, a abordagem de construção e manutenção é uma estratégia de longo prazo. Nesse caso, o objetivo é aplicar nutrientes a uma taxa mais alta do que as culturas estão a extraí-los. Isto maximiza a fertilidade a um ponto que não é limitante e os nutrientes são mantidos nesse nível.

Nos últimos anos, tem havido um foco crescente em práticas ambientalmente sustentáveis, o que significa que é importante aplicar os nutrientes de forma responsável, sem o risco de poluição. No entanto, para determinar e documentar a taxa apropriada de aplicação de nutrientes, deve-se primeiro começar com uma análise ao solo.

AVALIAÇÃO DO ESTADO DO SOLO

Quando as práticas estão a ser alteradas numa tentativa de melhorar a saúde do solo, devem ser realizados testes biológicos e físicos para estabelecer uma base inicial para poder haver uma comparação futura. Respiração de dióxido de carbono, carbono ativo, aminonitrogênio livre e potencial mineralização do nitrogénio (PMN) fornecem indicadores de atividade biológica. A densidade aparente, a estabilidade de agregados e a permeabilidade fornecem medições da estrutura física. É importante destacar que o carbono orgânico é o contribuinte comum para melhorar todos os componentes do solo.

ANÁLISE DE TECIDO DE VEGETAL

Embora a análise do solo indique se os níveis de nutrientes são adequados, não prevê a utilização da cultura. Muitos fatores contribuem para a absorção de nutrientes pelas raízes das plantas, e um solo fértil não é necessariamente produtivo.

Analisar o tecido vegetal permite monitorizar a eficiência dos nutrientes, o que pode indicar uma carência oculta antes dos sintomas de deficiência aparecerem e permite que se diagnostique sintomas visuais de carência de nutrientes. Em sistemas de produção intensiva, como vegetais irrigados, o solo não pode dar resposta sozinho ao consumo da cultura e devem ser aplicados nutrientes adicionais por via foliar ou fertirrigados com base nos resultados das análises do tecido vegetal. A eficiência da mão-de-obra também pode ser alcançada, já que campos agrícolas cultivados uniformemente requerem menos práticas culturais manuais.

AMOSTRAS

Devido à mobilidade variável dos nutrientes das plantas, é importante recolher uma amostra da planta na parte que melhor representa o seu conteúdo - geralmente, é a folha completamente desenvolvida mais recente numa planta em crescimento. Certifique-se de que recolhe amostras de muitas plantas para ter uma amostra adequada (mínimo de 200 gramas). A maioria dos relatórios de tecido vegetal frequentemente têm "intervalos normais" ou "mínimos críticos" para ajudar a interpretar os resultados, mas as amostras de áreas boas e más do mesmo campo podem revelar grandes diferenças.

TESTAGEM

Analisar o tecido é um processo preciso. As folhas devem ser secas, moídas, convertidas em cinzas e digeridas antes da medição com base no peso seco. É uma prática padrão relatar os macronutrientes e nutrientes secundários em percentagem e os micronutrientes em partes por milhão (ppm).

RECOMENDAÇÃO

Compreender os resultados costuma ser um exercício simples - por exemplo, pode ver que uma certa cultura está a mostrar uma deficiência de Azoto. Podemos eliminar a deficiência simplesmente aplicando mais nutrientes. No entanto, os resultados muitas vezes podem levar a uma investigação mais profunda dos processos existentes e a melhorias de gestão mais amplas, como melhorar a drenagem, a compactação ou preparação da sementeira.

A maioria das atividades de campo e os impactos na redução da produção são influenciados pelas condições climáticas, que estão fora do controlo humano. É fundamental que nos concentremos em gerir as coisas que estão sob o nosso controlo, como a fertilidade. A análise de solo e plantas fornece medições precisas que podem melhorar essa gestão - portanto, são de extrema importância.

A SGS é líder global em monitorização da fertilidade do solo para o setor agrícola. Os nossos especialistas e rede global de laboratórios podem ajudá-lo a otimizar o desenvolvimento da cultura, aumentar o crescimento e a qualidade do produto e manter a sustentabilidade do solo.

SOBRE A SGS

A SGS é a empresa líder mundial em inspeção, verificação, testes e certificação. A SGS é reconhecida como referência global em qualidade e integridade. Com mais de 89.000 colaboradores, a SGS conta com mais de 2.600 escritórios e laboratórios em todo o mundo. Estamos constantemente a olhar para além das expectativas dos nossos clientes e da sociedade em geral, com o objetivo de fornecer serviços líderes de mercado onde quer que sejam necessários. Trabalhamos juntos por um mundo melhor e mais seguro.