Skip to Menu Skip to Search Contacte-nos Portugal Websites & Idiomas Skip to Content

O café é a segunda bebida mais popular do mundo, depois da água. Não surpreende, portanto, que a indústria do café seja um grande negócio, com o mercado global a valer atualmente 465,9 mil milhões de dólares. Contudo, tal como acontece com muitas das grandes indústrias, os benefícios económicos levam a que muitos fornecedores tentem enganar os consumidores.

Café Robusta vs Arábica?

Cerca de 124 espécies de café foram identificadas no total, mas são normalmente agrupadas numa de duas categorias: Arábica e Robusta.

O Arábica é mais difícil de cultivar e é geralmente considerado de melhor qualidade. Por ser mais saboroso e ter uma reputação generalizada, os consumidores estão dispostos a pagar cerca de 20-25% mais pelo Arábica do que pelo Robusta. Isto significa que os produtores de Arábica são rápidos a rotular os produtos como "100% Arábica", distinguindo-os das alternativas Robusta e justificando os preços mais elevados.

O Robusta, por outro lado, tem um sabor mais amargo e é considerado de menor qualidade, embora seja mais fácil de cultivar, tenha um maior rendimento e seja mais resistente a pragas, doenças e climas desafiantes.

Infelizmente, os benefícios económicos da venda de Arábica versus Robusta abriram portas à fraude do café.

A frase "100% Arábica" não demonstra por si só a qualidade de um café - afirma simplesmente que o conteúdo é de grãos Arábica por oposição aos grãos Robusta. Pior ainda, estas afirmações são muitas vezes incorretas.

Um estudo realizado em 2018, no Reino Unido pelo Instituto Quadram, concluiu que 10% dos cafés rotulados como "100% Arábica" continham níveis significativos de Robusta. Os investigadores testaram cafés de 60 empresas de torrefação diferentes, espalhadas por 11 das principais regiões de produção de café do mundo, descobrindo mais de 1% de Robusta em oito dos cafés - e níveis "significativos" de Robusta em seis dos cafés.

Um por cento pode não soar muito. Contudo, este é geralmente considerado como o ponto de corte aceite entre a contaminação vestigial (e acidental) e os níveis que são indicativos de atividade deliberadamente fraudulenta. Tendo revisto estes resultados, o Instituto estima que entre 5-20% de todo o café "100% Arábica" será, de facto, fraudulento - por outras palavras, que conterá Robusta.

Como pode ser evitada a fraude no café?

Distinguir o café Arábica do Robusta não é tarefa fácil. Os grãos Arábica são claramente maiores do que os grãos Robusta, mas uma vez torrados e moídos, as observações visuais, por si só, são de pouca utilidade.

Existem várias técnicas analíticas que podem ser utilizadas para identificar as diferenças entre o Arábica e o Robusta. Por exemplo, técnicas vibracionais como as espectroscopias de infravermelho médio (MIRS) e infravermelho próximo (NIRS), podem fornecer medições diretas, não destrutivas e rápidas.

Infelizmente, também fornecem sinais sobrepostos - o que significa que têm de ser utilizadas em combinação com ferramentas quimiométricas multivariadas. A quimiometria, descrita como "a arte de extrair informação quimicamente relevante dos dados produzidos em experiências", está no cerne da química e das estatísticas multivariadas aplicadas. Permite uma quantificação precisa quando confrontada com interferências, tornando-a eminentemente adequada para esta pesquisa.

No entanto, esta não é a única opção. A SGS desenvolveu a sua própria abordagem inovadora, permitindo às organizações conhecer fácil e rapidamente a composição física do seu café.

Como é que a SGS o ajuda a identificar - e prevenir - fraudes no café

A SGS desenvolveu um novo teste inovador baseado no DNA para distinguir e quantificar Coffea Arabica (Arábica) e Coffea Canephora (Robusta).

Os nossos testes incluem:

  • Um método específico de extração de DNA validado internamente;
  • Uma análise prévia dos fragmentos que permite discriminar entre espécies e aceder a uma quantidade relativa numa amostra.

O nosso teste encontra contaminação a partir de um valor tão baixo quanto 1%.

O teste é adequado para as seguintes amostras de café:

  • Grãos verdes;
  • Grãos torrados;
  • Grãos torrados e moídos;
  • Cápsulas ou filtros.

Fazer da Fraude do Café uma Coisa do Passado

Poderá ficar surpreendido com a incidência actual da fraude no café. No entanto, isto não significa que a sua organização tenha de sofrer as consequências de fazer negócios, involuntariamente, com intervenientes fraudulentos no mercado.

Com a inovadora solução de deteção da SGS e especialistas líderes na indústria, pode identificar rapidamente e com confiança a composição do seu café. Isto permitir-lhe-á então demonstrar que a informação relativa ao tipo de café que está a vender é digna de confiança. Para saber mais sobre este serviço, entre em contacto hoje mesmo.

Saiba mais sobre os nossos serviços de análise de deteção de fraude de café >>

PARA MAIS INFORMAÇÕES, POR FAVOR CONTACTAR:

808 200 747 (Seg. a Sex. das 9h às 18h)
pt.info@sgs.com

SOBRE A SGS

Somos a SGS - a empresa líder mundial em testes, inspeção e certificação. Somos reconhecidos como a referência mundial em qualidade e integridade. Os nossos 93.000 colaboradores operam numa rede de 2.600 escritórios e laboratórios, e trabalham em conjunto para possibilitar um mundo melhor, mais seguro e interligado.